Acordei com vontade de ler Maga

Carolina Durães, a competente e antenada blogueira do site literário “Acordei com vontade de ler”, leu um dos meus livrinhos – Maga – Bruxas preferem Bloody Mary – e publicou sua impressões. Transcrevo, abaixo, a íntegra de seus comentários:

“Sinopse – Romance de estreia de Osmar Freitas, Maga – Bruxas preferem Bloody Mary tem um enredo instigante, que explora as seculares lendas de vampiros e as traz ao Brasil, a bordo de um vapor de imigrantes italianos do final do Século XIX. Uma história que vai levar o leitor a considerar seriamente a possibilidade de encontrar algo daquele mundo maligno à solta por aí. Enrico, um jovem professor de italiano, vê sua namorada morrer em condições estranhas. A polícia, entretanto, nada vê de anormal, e Enrico decide investigar por conta própria. Lysandra, sua colega de trabalho, vai com ele e, pouco a pouco, começa a tomar a frente das investigações, empurrada por seus conhecimentos de vampirismo e magia. Mais que esclarecer a morte da garota, Lysandra também procura por explicações que a ajudem a afugentar fantasmas do passado. Juntos, eles se embrenharão por becos de São Paulo, serão apresentados à um mundo paralelo e terão que enfrentar situações inusitadas de tensão e perigo. Em uma delas, alguém pode morrer.”

A trama é narrada em primeira pessoa pela Lysandra, uma protagonista no início de seus vinte anos. A história se passa em São Paulo começa quando ela recebe uma ligação informando-a que o seu amigo e colega de trabalho, o Enrico (Rico) está no hospital com um ferimento na cabeça.

“Minha atenção estava só no Rico. Enquanto decidia o que fazer, em pensamento pedia à Grande Mãe que o salvasse; se ainda houvesse tempo. Toquei-lhe o rosto lívido e depois tomei sua cabeça com a mão direita, a única que ainda obedecia aos meus comandos. Sacudi-a levemente, como faria se quisesse apenas despertá-lo de uma soneca, mas ele estava todo mole e não dava sinais de vida. Devolvi a cabeça ao assoalho e sacudi seu ombro, agora com força, chamando-o, porém ele continuou sem reagir. Rico não respirava, e minha respiração travou também. Meu Deus! Como fui deixar acontecer? Ele já havia sido atacado antes e sobrevivera, e eu devia ter aprendido. E com os pais dele, como vai ser? Senti o peito apertar-se ainda mais. Quem vai dizer que o filho morreu? Por minha culpa. Por conta dessa maldita obsessão. E a irmãzinha, que ele tanto amava? Dio!” (p. 06)

Acontece que o Rico foi encontrado desmaiado ao lado de sua namorada, que encontrava-se morta, no meio do bairro conhecido como cracolândia. Para os policiais, Roberta, a namorada do Rico era uma usuária de drogas e teve uma overdose. Só que existem algumas peculiaridades no caso que não coincidem com essa teoria. Como um estranho anel encontrado no corpo da vítima ou o fato do corpo não ter quase sangue, mas não ter nenhuma gota na cena do crime.

“- Bem… – Victor respirou fundo. – A mais esquisita é que o Negreiro, o perito do IML, disse que o corpo da vítima apresentava pouco sangue. Como não havia sangue no local e ela não tinha ferimentos, achei curioso.” (p. 35)

Lysandra tem um passado doloroso. Seus pais se divorciaram quando ela era pequena e ela ficou morando com a mãe, Dirce. Durante a adolescência, ela estudou bruxaria com outras alunas de sua cidade, inclusive sua grande amiga, a Marcela. Para Lysandra, estar ao redor de pessoas que a auxiliavam a compreender o seu dom, era um bálsamo. Enquanto crescia, ela quase não teve contato com o pai, até que um dia sua mãe morre por conta de uma parada cardíaca. Quando a mãe faleceu, ela teve que ir para o Rio de Janeiro, morar com o seu pai Caco, um jornalista que vivia enfiado no trabalho e não tinha tempo para a filha. Quando terminou os estudos, decidiu fazer um mochilão pelo mundo e ao voltar, foi morar em São Paulo, onde trabalha no Instituto de Ensino da Língua Italiana para Brasileiros – IELIB dando aulas de italiano. Aliás, foi assim que conheceu Rico, um italiano que também é professor de italiano no IELIB.

“- Vocês estudavam magia? Na escola? – Rico ficou pasmado. – Que raio de escola era essa? – Deixe-me falar – pigarreei, e me preparei. – Escola é maneira de dizer. Éramos apenas sete alunas em um curso de bruxaria, lá em São Mateus. Frequentei as aulas por pouco tempo, menos de seis meses, e só concluí os módulos iniciais. Acabei abandonando após a morte da minha mãe.”

Para Lysandra, o que aconteceu com Rico e sua namorada despertam lembranças do passado e ela sente-se compelida a investigar e descobrir a verdade. Enquanto mergulha nesse mundo, Lysandra vai descobrindo mais sobre si mesma.

O texto é muito bem construído e a linguagem combina com o perfil da personagem que se encontra no início dos vinte anos. As referências também são atuais, falam de redes sociais, da série Crepúsculo e tantas outras que permitem ao leitor se identificar com a história.

O enredo tem o tema sobrenatural como ponto de partida e até mesmo tem um narrador oculto, que demonstra certa obsessão por uma jovem chamada Mina, mas é também um enredo que fala sobre descobrimento e amadurecimento pessoal, a descoberta de sentimentos inesperados e a jornada pessoal de Lysandra.

O autor Osmar Freitas trabalhou muito bem o tema sobrenatural em meio a grande cidade de São Paulo. É bem intrigante ler sobre vampiros e bruxas em um território nacional. A escrita é leve e fluida, de forma que o leitor consegue alternar a narrativa de Lysandra com a do narrador misterioso sem problemas. Além disso, o leitor se diverte com alguns pensamentos da protagonista ao mesmo tempo que torce para que ela consiga enfrentar o que irá surgir em seu caminho.

“- É porque sua missão ainda não lhe foi revelada. Quando isso ocorrer, você compreenderá. Missão é contrapartida ao dom, Maga. Todos nós temos uma e não podemos fugir dela. É claro que também nos foi concedido o livre arbítrio para escolher como e quando nos dedicaremos a ela, mas livre arbítrio não significa poder recusar nossa missão ou anular o dom que recebemos, nem permitir que seja suplantado por interesses menores, pessoais.” (p. 78)

Este artigo pode ser encontrado em Acordei com vontade de ler

Maga está disponível no site da Amazon brasileira. Para ir até lá, basta clicar sobre a imagem, abaixo:

Siga-me!twitter
Facebooktwitterlinkedin<= Gostou? Compartilhe com seus amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *